Projeto Mascotes: uma nova vida em sala de aula

Tudo bom, pessoal? Pensando muito em Ciências por aí? Nós não pensamos em outra coisa! 🙂

E, por isso mesmo, vamos falar hoje (e nos próximos posts) sobre um projeto que estamos desenvolvendo na Escola de Educação Integral Professor Zeferino Vaz. Como parte da proposta de trabalho para 2016 nas turmas dos anos iniciais do ensino fundamental, além de experiências como as que mostramos aqui e aqui, queríamos também que os alunos desenvolvessem o sentimento de responsabilidade pela natureza e o meio ambiente. Com isso e, dentro do plano norteador do trabalho pedagógico da escola, que visa o trabalho com as relações humanas e com a valorização da gentileza, criamos o projeto que chamamos de Gentileza Gera… Natureza.

E como é isso, exatamente? Quer Saber? Vem com a gente! 😉

Podemos nos perguntar: qual a ligação que a Educação Ambiental pode ter com um projeto que se baseia na proposição da gentileza e suas vertentes como elemento base das relações escolares?  O problema é que estamos habituados a retirar a Educação Ambiental do âmbito humano, no sentido de construção de relações e afetos, e a tratamos como questão unicamente científica.

Aqui, trabalhamos bastante:

Alunos no laboratório de informática
Hora da pesquisa no laboratório de informática

Mas, NÃO precisa ser só isso né, gente!

Também sabemos curtir a natureza como ninguém:

Alunos no pátio
Alunos do quinto ano, depois de observarem o entorno na escola

Queremos de nossos alunos a preocupação com o coletivo e a vontade de garantir condições dignas para todos. E tudo isso está ligado à questão ambiental, essencial para a conservação da existência humana.

Compreenderam como funciona? Como é legal saber que a gente pertence à natureza e se preocupar com ela?

E foi assim que criamos o trabalho com os mascotes: para trabalhar a relação das crianças com os seres vivos. Queremos os alunos cada vez mais observadores, curiosos e conscientes do meio ambiente que os cerca. Por isso, cada turma terá seu mascote. Veja como vai funcionar:

O terceiro ano cuidará dos tenébrios gigantes. Este inseto apresenta 4 fases durante sua vida e com elas, vamos observar as transformações e discutir com os alunos a importância e o fascínio da vida, em qualquer uma de suas formas, mesmo nos pequenos seres.

As turmas do quarto ano, que estudaram bastante sobre o sistema digestório, construíram um minhocário, para observar esse animal que apresenta sistema completo, reforçando tudo que aprendemos em sala.

Essa garotada promete! 😍
Aluna do quarto ano que não vê a hora de começar! 😍

Por último, as turmas do quinto ano não precisaram de uma proposta nossa. Na verdade, a curiosidade surgiu na leitura do livro didático, que explicava a alimentação das plantas carnívoras. Com toda a agitação da sala, não foi difícil pensar: e se a gente tivesse uma planta carnívora na sala?

Todos estão curiosos e participando ativamente do projeto. Essa turma promete

E vocês? Gostaram? Querem criar mascotes nas turmas de vocês também? Deixem suas dúvidas e sugestões nos comentários!

Até a próxima!

 

9 comentários sobre “Projeto Mascotes: uma nova vida em sala de aula

  1. Realmente, um trabalho belíssimo. Bate totalmente com as idéias propostas pela professora Rosely Lopes quando diz que “A criança nasce cientista” . Inclusive sugiro a participação deles nas feiras nacionais de ciências no futuro.

    Uma das coisas que considero problemática no ensino de ciências e que vocês estão resolvendo é que na escola acabamos vendo a ciência como um produto, algo acabando. Mas acabamos perdendo de vista que ela é um método, um processo. Fico muito feliz em ver que o seu projeto supera essa armadilha.

    Parabéns, há algo de silenciosamente revolucionário nesse trabalho.

    Curtir

    1. Renato, que bom que você gostou. Estamos muito felizes de ver o envolvimento dos alunos e esse trabalho com o processo do “fazer” científico é o que mais nos motiva.
      Continue passando por aqui, deixando suas ideias, sugestões e, por favor,divulgue nosso trabalho por aí. Vamos continuar a pensar Ciências juntos! Abraço!

      Curtido por 1 pessoa

      1. Uma curiosidade, pelo que entendi os alunos estão fazendo observações e anotações. Eles também estão criando hipóteses e tentando comprová-las através da observação?

        Curtir

      2. Olá, Renato.

        Os alunos sempre têm roda de conversa inicial, para levantamento de hipóteses e final, para comentar suas impressões. Esses momentos são muito ricos porque os conhecimentos são consolidados. Os alunos têm levado pra casa as discussões e dividido com os pais o que aprendem. Alguns já chegaram a reproduzir experimentos em casa. Não é demais? Obrigada por enviar seus comentários, esperamos vê-lo sempre por aqui.

        Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s