Projeto Mascotes: como andam os tenébrios?

Olá, pensadores de Ciências!

Hoje viemos atualizar o projeto mascotes com informações sobre a nossa criação de tenébrios com a turma do terceiro ano. O primeiro momento foi dedicado a instalar as larvas em seu “novo lar” e ensinar às crianças os cuidados com essa fase inicial. No  momento seguinte, a tarefa era ensinar que a criação exige manutenção, além, é claro, de mostrar como estavam nossos amigos após alguns dias. Pois é, os tenébrios mudaram e muito!

Vem que a gente te conta tudo que aconteceu por aqui 😉

Primeira missão: “arrumar a casa”.

Larvas de tenébrios
Era hora de começar a arrumação
Resolvemos que era o momento de dar uma limpadinha nas caixas e ver se havia alguma pupa enterrada embaixo da mistura de ração de pintinho, farelo de trigo e aveia.
Alimentação para tenébrios
Organizando a alimentação dos mascotes
Pensa num agito? Era a nossa sala tentando limpar e trocar os suprimentos dos tenébrios. A vontade de todos de participar era imensa. \o/
Larvas de tenébrios
Os alunos estavam ansiosos para ajudar

Após a sala observar as mudanças das fases dos nossos mascotes,  perceberam que eles podem ser carnívoros também. Sim, tínhamos 20 tenébrios no começo e a turminha percebeu que faltam alguns, chegaram à conclusão que os maiores devem ter comido os menores.

E lá fomos nós, munidos de todo o material necessário para limpar as caixas, era tenébrio que fugia, era besouro que passava de mão em mão, mas no fim deu tudo certo.
Mudança de larva para besouro
Olha a mudança de larva para pupa
Ainda estamos resolvendo se iremos fazer uma criação ou sortear os
besourinhos entre a sala. O que você acha que a gente deveria fazer com esses jovens amiguinhos?
Tenébrio na forma de besouro
Olha o besouro “recém-nascido”
Tenébrio na forma de besouro
Observe que logo após deixar a forma de pupa, o besouro tem cor clara.
Após mostrar a pupa para os alunos, cada um falou de suas impressões
Pedro Augusto argumentou:
– Olha! Que legal! Parece uma formiga.
Depois, ele mesmo disse que parecia um passarinho. Pois, assim como os pássaros precisavam de tempo para chocar o ovo, os tenébrios precisavam de tempo para desenvolver de pupa para besouro.
O João Felipe viu que enquanto a pupa trocava, o tenébrio estava com o corpo úmido.
A Lara disse que a pupa lembra um camarão!
Ah! Houve também quem dissesse que as pupas parecem pokémon. 😀

 

Vamos confessar? Foi uma loucura! 😂

Terminamos  exaustos, mas… tão felizes!! 😄

Incrível, não é?  O mais especial para nós é verificar que os alunos não perderam o interesse pelos mascotes. Tínhamos certa preocupação de que isso fosse acontecer. Mas, como dissemos em outras ocasiões, quando propostas interessantes são entregues, os alunos respondem com entusiasmo e isso nos mostra que, se não acertamos tudo, estamos, pelo menos, no caminho certo. ❤

Deixe suas dúvidas e sugestões nos comentários. Divulgue o blog e o canal entre seus amigos e familiares. Vamos todos pensar Ciências!

Até mais!

2 comentários sobre “Projeto Mascotes: como andam os tenébrios?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s