Sistema Solar: As turmas do 5° ano e o desafio do seminário

Salve, Pensadores de Ciências!

O post de hoje é pra falar duas coisas ao mesmo tempo: o conteúdo previsto para nossas turmas do 5° ano dos anos iniciais do ensino fundamental e a dificuldade de trabalhar com o modelo de seminário com os alunos menores. As apresentações orais nos dão oportunidade de desenvolver muitas competências dos alunos, então, por que será que não exploramos tanto essa modalidade? Você tem alguma hipótese? Então, vai pensando daí, que vamos pensando daqui…

Vem com a gente que mostraremos como trabalhamos o conteúdo com as turmas e depois falamos mais um pouco sobre isso.

Estabelecemos algumas etapas para o trabalho e ficou assim:

A proposta:
As duas salas dos 5º anos foram divididas em 4 grupos cada e cada grupo ficou de fazer uma pesquisa sobre um planeta que foi sorteado em sala.
Mas, como a gente gosta mesmo é de um bom desafio, colocamos um “algo mais” no trabalho. A ideia era que cada grupo trouxesse o que está além dos livros didáticos, uma curiosidade ou algo inusitado de cada planeta. Queríamos, com isso, que as crianças se mantivessem atentas aos detalhes. Não podíamos correr o risco de cair o famigerado “copiar e colar”. A exigência de trazer uma curiosidade, faria com que lessem de maneira mais atenta, que relacionassem com o conteúdo estudado sobre os outros planetas e que, ao comparar os dados, concluíssem o que havia de diferente entre um astro e outro.
Além das rodas de conversa e imagens do livro que usamos em sala de aula, fizemos várias visitas ao laboratório de informática e pudemos ver o site do Planetário do Rio de Janeiro. Lembra que nós falamos dele aqui neste post? A pesquisa inicial foi fundamental para revisar o que os alunos já sabiam e para dar ideias para a apresentação dos trabalhos.
E lá fomos nós! \o/
Chegou o grande dia! Além do trabalho as crianças deveriam trazer um cartaz com as ideias mais relevantes e também uma representação plana do planeta em escala. E saiu cada trabalho lindo! Desse jeito, nossos pequenos cientistas, vão acabar virando pequenos astronautas! 😀

Aí as apresentações começaram e foi aquele “desfile” de planetas! rsrsrs

Com o cartaz repleto de informações, não foi difícil saber um pouco mais sobre o planeta Mercúrio
Com o cartaz repleto de informações, não foi difícil saber um pouco mais sobre o planeta Mercúrio

A turminha de Urano também preparou um cartaz especial, cheio de informações:

Um close de Urano! 😉
Um close de Urano! 😉
Também vimos curiosidades sobre Vênus
Também vimos curiosidades sobre Vênus
Saturno e seus anéis sempre despertam a atenção de todo mundo
Saturno e seus anéis sempre despertam a atenção de todo mundo
A pesquisa de imagens serviu de apoio às explicações dos seminários
A pesquisa de imagens serviu de apoio às explicações dos seminários
Além da representação do planeta, das imagens e do cartaz, cada grupo tinha que entregar um registro escrito. Dá uma olhada nas capas! ❤
Os corações provam a alegria da turma! 😊
Os corações provam a alegria da turma! 😊
Olha essa capa!! 😍
Todos os grupos se dedicaram e o resultado não poderia ter sido melhor! 😍
 Legal, né?!

Para finalizar nosso plano de aula, pedimos que fosse apresentado um seminário, prática que não é muito constante no 5º ano, muito menos um trabalho deste nível. O nosso propósito é desafiar os alunos não só com novas maneiras de tratar o conteúdo mas também nas práticas em sala de aula. O desafio é para nós, mas também para eles.

 

E foi um desafio daqueles, pois, mesmo explicando algumas vezes, alguns grupos tiveram dificuldades em realizar a atividades. Isso nos faz ter certeza de que queremos continuar estimulando essa prática, que por vezes, é negligenciada no ensino fundamental, mas é extremamente cobrada nos níveis médio e superior.
Acreditamos que a dificuldade dos professores em trabalhar com o seminário pode ser um pouco de receio da resposta por parte dos alunos que, quando muito jovens, têm mais medo de se expor no grupo. Muitos são extremamente tímidos na infância e, por isso mesmo, achamos que essa atividade deve sempre ser considerada. Como dissemos lá em cima, ela pode desenvolver várias habilidades dos alunos que, a nosso ver, justificam “correr o risco” de montar um seminário com os alunos.
A exposição oral trabalha, desde o início, a organização dos alunos, a divisão de tarefas e o estímulo ao desenvolvimento da liderança. Alternando os líderes nos grupos, os alunos têm a chance de aprender a planejar e delegar tarefas, ouvir e respeitar as opiniões de todos e também de propor soluções para a execução do trabalho. Temos também as vantagens mais “óbvias” de se trabalhar com seminários: aprender a falar em público, aprender a ouvir uma apresentação e fazer perguntas, refletir sobre o que acabou de ouvir, comparar com o que já se sabe e pensar sobre a própria maneira de falar e apresentar.
Tá vendo? O trabalho com seminários só traz vantagens para a sala de aula. Não há motivos para não fazer! E você? O que acha? Como aluno, qual sua maior dificuldade com apresentações orais? E você, professor? O que vê de positivo no trabalho com seminários? Compartilhe conosco as suas opiniões. Será um prazer trocarmos ideias sobre este e outros temas que aparecem na sala de aula.
Até a próxima!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s