Qualidade da água: Processos de filtragem

Salve, Pensadores de Ciências!

O mês de maio acabando e com eles muitos projetos e conteúdos chegando ao fim, mas tem muita novidade para junho, grandes ideias pipocando em nossas cabeças. E nosso trabalho com as turmas de quarto e quinto ano do ensino fundamental segue nos inspirando cada dia mais.

E para encerrar o mês de maio fizemos um experimento muito legal que foi simular alguns dos processos de filtragem da água de acordo com o que ocorre nas ETA (Estação de Tratamento de Água).

Aliás, já falamos um pouco sobre captação e tratamento de água nesse post aqui. Quem lembra?

Hoje, iniciamos falando do caminho da água até nossas casas de uma forma bem simples e lúdica, aproveitei para falar sobre Mata Ciliar e sua importância. Também falamos da questão de assoreamento dos rios em função da falta da mata e do montante de lixo que acaba em nossas águas. Esse tema ainda vai aparecer por aqui, mas se você é daqueles que não aguenta esperar, pode começar suas pesquisas por aqui.

Após as turmas dos 4º anos aprenderem o caminho da água, tudo bem explicadinho, pedimos que fizessem algumas ilustrações do que entenderam. E, olha, não é porque são nossos alunos, não, mas tem cada coisa bonita… vem ver!

filtração
Os meninos capricharam nos conceitos que envolvem a filtração

filtração

filtração
E não tem só texto, não! A meninada demonstrou tudo que aprendeu com desenhos lindos como esse
filtração
Cada um mais lindo que o outro!
filtração
Cada etapa do tratamento foi representada nos desenhos

Depois de ver que a turma havia absorvido o conteúdo com clareza embarcamos na experimentação. Afinal, nada como vivenciar tudo o que foi só falado.

filtração
Materiais organizados para a experiência

Partimos então para nossa aventura, a primeira delas o Processo de Floculação.

filtração
Material para o Processo de Floculação: bacia, água e papel picado
filtração
Misturamos tudo e começamos o processo de movimentar a água
filtração
As partículas de sujeira (papel) começam a se agrupar.
filtração
Olha aí o pessoal, maravilhado

Partimos para nossa segunda aventura, a Decantação.

filtração
Os materiais usados foram somente água e terra
filtração
Água com terra
filtração
Tudo bem misturadinho

Agora, era só esperar….mas….

filtração
Esperar? E quem tem paciência?! \o/

O próximo e último experimento que simulamos foi o da Filtração.

filtração
Nossos experimentos foram simples, mas feitos com muito empenho! <3
filtração
Areia diluída em água e um filtro de papel, daqueles usados para coar o café
filtração
Já dava pra ver as primeiras gotas: estavam bem mais limpas!
filtração
E vocês acham que dava tempo de esperar toda a filtragem? Era muita ansiedade, Brasil! rsrsrs

E para terminar, claro que a professora pediu um pequeno relatório… rsrsrsr

filtração

filtração

Pensa em uma aula inesquecível? Adoramos todo o processo e estamos maravilhadas com o conhecimento adquirido, muito além dos livros e cadernos. É assim que levamos a vida por aqui, vivendo e Pensando Ciências! <3

E você? O que achou? Escreva para gente se tiver dúvidas sobre os processos de tratamento da água.

Até a próxima!!!

 

 

Entendendo os Críptidios

Saudações, Pensadores de Ciências!

Vamos falar um pouquinho sobre o nosso projeto de Criptozoologia? Nossas turmas do quarto e quinto ano têm estudado essas misteriosas criaturas. Acontece que, quando lançamos esses desafios para os pequenos, nós mesmas nos fazemos uma série de perguntas. Será que eles entenderam? Será que a classificação faz algum sentido para os alunos? Veja aqui o post sobre a atividade de classificação.

Foi aí que veio a ideia das próprias crianças criarem seus criptos, assim conseguiríamos ver o que compreenderam e o que ainda falta decifrar. E não é que a turminha se saiu muito bem?

A proposta era a seguinte: cada aluno tinha que criar seu cripto, identificar as referências a animais já conhecidos e acrescentar os elementos que desejassem ao ser que ele criou. Bom, aí teve de um tudo né, Brasil? Infelizmente, não podemos mostrar todos os trabalhos! N-I-N-G-U-É-M quis ficar de fora da atividade. Quem faltou no dia, simplesmente, exigiu fazer na aula seguinte.

Teve gente que ficou procurando no mapa múndi algum lugar que lhe agradasse para fazer a “certidão de nascimento” do seu bichinho. Foi uma atividade muito especial e pudemos verificar que os alunos assimilaram muito bem as leituras e explicações que fizemos na aula anterior. A experiência tem sido significativa com o conhecimento que trouxemos para a aula e, para nós, nada pode ser mais especial que isso.

Agora chega de conversa! Com certa dor no coração por não poder mostrar tudo, separamos algumas ilustrações. A criatividade foi longe… Vem ver!

Alunos dos anos iniciais criam criptideos
Muitas cabeças e um nome bem legal, vocês não acham?
Alunos dos anos iniciais criam criptideos
Esse aqui foi tão bem elaborado que a turma do 5º ano B o transformou em “mascote”! 😀

Até aqui, já estava bem divertido, mas não é que molecada inventou ainda mais? teve gente que resolveu dar “superpoderes” aos criptideos. E, não é por nada, não… mas acho melhor o pessoal da X-Men ficar de olho… Nossos alunos botaram muitos mutantes no chinelo. Te cuida, Wolverine! rsrsrs

Alunos dos anos iniciais criam criptideos
Tinha que ter dragão também, né? A gente amou!
Alunos dos anos iniciais criam criptideos
Esse é o “justiceiro” da turma. Corrige as coisas erradas da escola e tem até “assinatura”…

Uma pausa, por favor. No meio da seleção de pilhas de desenhos, nosso coração parou por um instante. Demos de cara com o criptideo mais fofo do planeta. Um porquinho da Índia! Não sabemos o que dizer, Brasil. Só sentir! <3

Senhoras e Senhores, com vocês, o Bolomba:

Alunos dos anos iniciais criam criptideos
Pensa numa paixão à primeira vista? Foi essa a nossa reação diante do Bolomba! <3

Recuperadas do forte impacto emocional causado pelo Bolomba, seguimos buscando criptos com superpoderes!

Alunos dos anos iniciais criam criptideos
Esse já sabemos de onde vem: das regiões vulcânicas! \o/
Alunos dos anos iniciais criam criptideos
Parece simples, né? Agora, olha o detalhe da cauda! Não tá demais?!

Pois é, gente, trouxemos para vocês uma pequena amostra em mais de 200 desenhos produzidos. Como dissemos, os alunos se envolveram demais e não temos mais dúvidas de que a criptozoologia, que nos causou um pouco de insegurança no começo, está sendo muito bem aproveitado pelos alunos. Essa história ainda vai longe!! E a gente espera que vocês continuem acompanhando cada passo da turminha!

Até a próxima!

Ação Ecológica

Saudações, Pensadores de Ciências!

Nosso post de hoje vai falar de duas coisas muito especiais que aconteceram com a gente nos últimos dias: o aniversário da nossa escola e uma ação ecológica que ocorreu lá na Escola de Educação Integral Professor Zeferino Vaz.

Segura a nossa mão e vem ver tudo que rolou!

Nossa escola completou no ultimo dia 30 de abril 23 anos de fundação.

ação ecológica na E.E.I. Zeferino Vaz, Campinas, São Paulo
Os detalhes da inauguração do CAIC

Nosso tão querido CAIC tem o nome de uma pessoa muito importante de Campinas, o Professor Zeferino Vaz, é isso mesmo, temos o mesmo nome da UNICAMP, chique né?!?!?! <3

ação ecológica na E.E.I. Zeferino Vaz, Campinas, São Paulo
Professor Zeferino Vaz

Não deixe de saber mais sobre esse importante intelectual brasileiro. Que tal dar uma olhada nesse site aqui.

Para comemorar essa data tão especial, resolvemos realizar uma ação ecológica em nossa escola. Isso porque, com o tempo, os prédios ganharam reformas e as áreas verdes foram ficando escassas… 🙁

E todos nós aqui do Pensando Ciências sabemos que sem natureza não dá pra viver, não é mesmo?!

Nossa ideia principal é que do Fundamental I até o Fundamental II, 15 salas exatamente, pudessem fazer o plantio de uma pequena muda.

Para começar fomos buscar as mudas, como já contamos no post sobre alameda, a prefeitura de Campinas tem um viveiro que fornece mudas para a população gratuitamente.

ação ecológica na E.E.I. Zeferino Vaz, Campinas, São Paulo
Nesse meio tem até duas mudas de pau-brasil! Não é demais? \o/

 

ação ecológica na E.E.I. Zeferino Vaz, Campinas, São Paulo
Uma das turmas do 5º ano, verificando se as mudas estavam saudáveis para o plantio. Lembrando que eles já têm experiência com o Projeto Alameda.

E partimos para nossas comemorações ecológicas. Acompanhei uma das turmas dos 4º anos, plantamos um Ypê Amarelo no parque da escola, carinhosamente chamado de “Parque da Coruja”.

ação ecológica na E.E.I. Zeferino Vaz, Campinas, São Paulo
Todo mundo em volta da muda de Ypê

 

ação ecológica na E.E.I. Zeferino Vaz, Campinas, São Paulo
No momento do plantio: era mão pra todo lado! Loucura, loucura, loucura! 😀
ação ecológica na E.E.I. Zeferino Vaz, Campinas, São Paulo
Olha aí a carinha de alegria da turma! Mais uma missão cumprida
ação ecológica na E.E.I. Zeferino Vaz, Campinas, São Paulo
E nosso Ypê está aí, esperando água, sol e cuidados para crescer forte e colorir nossa escola

Uma bela comemoração, vocês não acham?

Nós adoramos fazer parte da história do CAIC.E agradecemos aos alunos pelo interesse e seriedade com que participaram deste dia.

E vocês? Já organizaram algo parecido? Pode ser no seu bairro, na sua escola… Deixe sua experiência nos comentários!

Você já plantou uma árvore na sua vida? Corra, pois ainda dá tempo!

Até a próxima!

Estudo da temperatura: atrito e calor

Saudações, Pensadores de Ciências!

Estão lembrados dos nossos estudos de temperatura com as turmas do quarto ano do ensino fundamental? Já falamos deste projeto aqui e aqui. Passa lá!

Voltamos hoje com mais um capítulo do nosso projeto sobre Temperatura. E desta vez apresentamos para as turminhas a relação do Atrito com o Calor.

Nossa primeira conversa foi sobre o que era atrito.  É lógico que a turma quis saber mais. Da forma mais resumida possível, explicamos que o atrito é a fricção entre duas superfícies. Isso ocasiona uma certa resistência ao movimento. Um pouco complicado ainda? Dê uma olhadinha nesse site e descubra mais sobre o fenômeno.

E alguém perguntoou: qual a relação do atrito com o calor?

O atrito pode gerar calor!

Mas… como?

Porque ocorre fricção entre duas superfícies, e isto ocorrendo,  temos a liberação de energia na forma de calor. A turma quis ver tudo mais de perto.

Aí, foi a hora de colocar a mão na massa, trabalhamos para produzir atrito e sentir essa energia que é gerada e chamada de calor.

A primeira proposta foi esfregar a borracha na mesa várias vezes e encostar em alguma parte do corpo, os alunos preferiram sentir na bochecha o calor produzido.

experiência com atrito e calor
Olha a turma do atrito aí, gente!
experiência com atrito e calor
É muito legal ver a reação da turminha sentindo a energia que foi produzida

A tarefa seguinte era esfregar uma mão na outra produzindo o atrito e gerando o calor.

experiência com atrito e calor
Teve aluno que gerou atrito com tanta velocidade que nem podemos ver as mãos em foco! Não é demais?

Era necessário, também, sentir a energia produzida e rapidamente, após causar o atrito com as mãos… imagina onde elas foram parar, de novo…

experiência com atrito e calor
Essa aula foi pura diversão. Isso é o que podemos chamar de “calor humano”! 😀

A brincadeira do dia foi batata quente? Não, fomos de “bochecha quente” mesmo… rsrsrs….É isso aí, pessoal!

O que mais vocês sabem sobre atrito e calor? Já fizeram essas experiências por aí? Se você é aluno, faça na sua escola. E se você é adulto, que tal mostrar para os pequenos como é possível viver, Pensando Ciências, todo dia?

Até a próxima!!

 

 

Projeto Alameda: por onde anda?

Saudações, Pensadores de Ciências!

contamos pra vocês sobre a proposta de projeto que recebemos este ano e tudo que já começou a rolar. Hoje vamos mostrar como estão nossas pesquisas com nossos alunos do quinto ano.

Começamos com o estudo do nosso “pedacinho de chão”, a etapa seguinte foi fazer uma pesquisa na internet de árvores que poderíamos usar na nossa Alameda. Para escolhermos as espécies a ser plantadas, estabelecemos alguns itens importantes para a pesquisa

Pedimos que verificassem a altura, consequentemente as raízes e se necessitarão de muito sol.

plantio de alameda de arvores na escola
Levamos os alunos ao laboratório de informática da escola
plantio de alameda de arvores na escola
Que beleza! Todo mundo trabalhando!

E não é que rendeu boas idéias: Uma das árvores que os alunos apresentaram foi a Noivinha – Euphorbia leucocephala, olha que coisa mais linda.

plantio de alameda de arvores na escola
Essa é a noivinha
plantio de alameda de arvores na escola
E olha essa flor, que delicada!
plantio de alameda de arvores na escola
Na capa do relatório, os itens que pedimos que fossem pesquisados
plantio de alameda de arvores na escola
E os primeiros dados foram chegando…

A segunda árvore que apareceu nas pesquisas foi a Alfeneiro – Ligustrum lucidum, confesso que teremos que pesquisar mais sobre essa árvore.

plantio de alameda de arvores na escola
O alfeneiro também pode ser uma boa opção para nossa alameda
plantio de alameda de arvores na escola
Outra flor delicada.. quem sabe plantamos um alfeneiro? O que acham?

plantio de alameda de arvores na escola

Os meninos trouxeram também uma pesquisa sobre a Murta de Cheiro – Murraya Exotica.

plantio de alameda de arvores na escola
A murta de cheiro…
plantio de alameda de arvores na escola
…e sua flor! Imagina todo esse perfume na nossa escola! \o/
plantio de alameda de arvores na escola
E as informações sobre a murta, Brasil? Aqui ó! Tudo bem explicadinho!

Teve de tudo um pouco nas pesquisas, e se vocês quiserem saber onde a turminha achou essas e outras informações, clica lá no site do pessoal da Ubajara Notícias. Aproveite para deixar nos comentários suas dicas e sugestões sobre o plantio de árvores.

Agora, para nossa alameda florescer, só falta o engenheiro agrônomo do Cati nos visitar e ajudar com os itens que ainda precisamos arrumar.

Continue acompanhando nosso blog, pois vamos atualizando por aqui como andam os nossos projetos. Fique coladinho com a gente, Pensando Ciências! 😉

Experiência sobre alimentação: estudando o amido

Salve, Pensadores de Ciências!

O post de hoje é sobre uma experiência que fizemos com nossas turmas dos quarto ano do ensino fundamental. Como o conteúdo prevê o estudo da relação da alimentação com as defesas naturais do corpo, tenho mostrado algumas coisas “erradas” que ingerimos por aí e também o que pode estar contido em alguns alimentos do nosso dia a dia.

Fizemos uma experiência com o amido e pudemos observar a presença de açúcares em alguns alimentos. O amido é um açúcar Polissacarídeo.

Para a experiência utilizamos alguns produtos e os organizamos na mesa para que os alunos acompanhassem

experiência amido nos alimentos
Tudo pronto e a criançada em volta da mesa. Era só começar!

Como você pode ver na foto aí em cima, nós usamos:

1 pedaço de pão;

1 torrada;

1 pedaço de batata;

1 punhado de sal;

1 sequilho:   

1 punhado de farinha de trigo;

1 colher de creme de ricota;

1 pedaço de manga ;

1 biscoito;

1 pouco de iogurte

iodo

Começamos nosso experimento pingando um pouco de iodo em todos os nossos produtos… vem ver o que aconteceu:

experiência amido nos alimentos
A batata, com alta concentração de amido, logo apresentou a coloração escura ao entrar em contato com o iodo

A batata apresentou reação com iodo. Os carboidratos são alimentos energéticos, que dão energia para o nosso corpo, essa energia vem dos açúcares que são encontrados nesses alimentos.

experiência amido nos alimentos
Torrada, assim como o pão, também contém amido
experiência amido nos alimentos
O biscoito reagiu rapidamente, na presença do iodo

A torrada e o biscoito também apresentaram reação ao iodo, pois em sua composição, apresentam a farinha de trigo e a aveia que também são carboidratos.

Na sequência tínhamos o sal, o sequilho (biscoito feito de amido de milho) e a farinha de trigo. O único alimento que não apresentou reação foi o sal. O sal é um alimento de origem mineral livre totalmente de açucares.

experiência amido nos alimentos
À esquerda, vemos o sal, o único que não apresentou a coloração escura visto que se trata de um composto mineral

Após colocarmos o iodo no pedaço de manga… A criançada ficou espantada! Houve reação!!! E foram logo perguntando: “se a manga é fruta, onde entra o amido aí?”

experiência amido nos alimentos
Todo mundo de cara séria… ninguém aqui tá pra brincadeira, não! 🙂

O jeito foi explicar…

A fruta tem todo aquele sabor doce devido ao conteúdo de carboidratos. Existem muitas variedades de manga, a maioria delas tem um alto valor de carboidratos. Para cada 100 gramas de manga, existem em média 14 gramas de carboidratos. Não existe quase nenhum conteúdo de gordura ou proteína nas mangas. Ela fornece mais do que suas necessidades diárias de Vitamina A e Vitamina C. Ela também contém fibra, magnésio, ferro e antioxidantes. Portanto, você pode ver que a manga é uma fruta nutritiva no geral, como a maioria das frutas ela tem baixo conteúdo de gordura e é livre de colesterol. Quer saber mais? Experimente esse link.

experiência amido nos alimentos
Mistério da manga? Resolvido! 😉

Deixamos os dois derivados de leite para o final, o creme de ricota não apresentou reação, mas, o iogurte, deixou todo mundo de cabelo em pé… \o/

experiência amido nos alimentos
A ricota, como um produto do leite, não reagiu ao iodo

Uma dica, pessoal: usem conta-gotas para essa experiência. nós esquecemos de levar e foi uma lambança… 😀

experiência amido nos alimentos
Mas, o iogurte… quanta diferença…

Teve aluno fechando os olhos, não queria acreditar no que estava vendo. Nem nós…

experiência amido nos alimentos
E os alunos seguiam concentrados! A gente <3

Mas o que aconteceu com o iogurte, que ficou com uma coloração escura tão intensa? Por que ele apresentou reação ao iodo e o creme de ricota não?

Depois de muito barulho, hipótese e questionamentos, alguém grita:

– Meu Deus, tem farinha no iogurte!!!!

Aí, minha gente, foi aquele desespero:

– Estão enganando a gente, Prô!

Foi preciso intervir mais uma vez:

– Calma aí, pessoal! Pode sim ser uma mistura para deixar o produto mais “grossinho” (espesso), mas vamos pesquisar…

Segundo o guia  Amidos: fontes, estruturas e propriedades funcionais:

“Na indústria de iogurtes, o amido é utilizado com o objetivo de substituir a gelatina para obtenção de um produto final cremoso.”

Agora ficamos com uma dúvida no ar, não seria a gelatina mais saudável que o amido na mistura do iogurte?

Deixamos a pergunta no ar e vamos ter que continuar investigando.

Agora queremos saber o que achou dessa experiência. Já sabia como investigar a presença do amido nos alimentos? O que você acha do uso do amido na indústria alimentícia para alterar a nossa percepção dos produtos? Divida suas impressões conosco e continue, Pensando Ciências.

Até a próxima!

 

Como andam nossos estudos sobre criptozoologia?

Saudações, Pensadores de Ciências!

É feriadão! Mas a gente tá aqui firme e forte, viu?

Vocês já leram aqui como vai funcionar o nosso projeto sobre os críptos e os nossos objetivos em relação à pesquisa, né? Agora vamos mostrar como tudo está caminhando.

Depois de explicar o que eram os críptos optamos por realizar uma atividade onde os alunos idealizariam suas próprias criaturas.  Mas esta atividade vocês verão num próximo post.

Ai, quanto suspense, Braseeelll!

criptozoologia
Esse aí é só uma mostra do que os meninos fizeram. Aguardem!

Depois das criações fantásticas, como esta aqui em cima, levamos algumas fichas para os 5º anos para uma rápida classificação e aprofundamento do conteúdo exposto.

E, como no post anterior, tivemos perguntas sobre o tema de um dos nossos leitores, resolvemos fazer o post de hoje para disponibilizar o material que conseguimos para outras pessoas que se interessam e gostariam de estudar mais sobre o assunto.

Conhecimento pra gente é assim, quanto mais dividimos, mais multiplicamos por aí! <3

Vem ver:

criptozoologia
Como já dissemos aqui, os criptos são investigados por muitos cientistas em várias partes do mundo

 

criptozoologia
A ilha de Java também é alvo de investigações. Você acha que o Ahool existe?
criptozoologia
Os registros de avistamento do Abominável Homem da Neves são numerosos, mas as provas definitivas ainda não foram obtidas
criptozoologia
Esse cripto, de acordo com a lenda, não nasce diferente, mas torna-se diferente. É um gatinho com “superpoderes”!

Lógico que os textos despertaram curiosidade e geraram aquela “baguncinha do bem” que a gente tanto gosta. Todo mundo perguntando ao mesmo tempo, levantando da carteira, perguntando pro colega do lado….

Depois do auê Em seguida, criamos um roteiro bem simples de pesquisa, só para verificar o que a criançada traz de bagagem e o que eles conseguiram absorver até o momento. E não é que esses pequenos vivem nos surpreendendo? Eles foram conversando entre eles, anotando, discutindo. Olha aí o resultado:

criptozoologia
Os alunos adoraram os textos e se empenharam no relatório
criptozoologia
E eles entregaram o relatório completo! <3

Esperamos que o material de hoje possa ajudar um pouquinho quem se interessa pelo assunto.

E nossas pesquisas continuam, viu? Logo, logo tem mais criptídios por aqui. E você? Conhece livros, revistas, sites sobre o tema? Que tal compartilhar com nossos leitores alguma dica sobre a Criptozoologia?

Até a próxima!