Sequência didática multidisciplinar nos anos iniciais

Saudações, Pensadores de Ciências!

Hoje teremos mais um post com sequência didática, com proposta de multidisciplinaridade (multidisciplinar significa reunir várias disciplinas em busca de um objetivo final), na qual iremos explorar os animais que se apropriam do corpo humano como moradia, nossos “hóspedes”.

A atividade proposta aqui é melhor aplicada em alunos do Ciclo I do Ensino Fundamental e contamos com a união entre as disciplinas de Ciências, Língua Portuguesa, Geografia e Matemática

E se você ainda não viu as sequências didáticas que já publicamos, pode clicar aqui, aqui e aqui também.

O livro paradidático usado será “O hóspede de Barnabé”, de Robson Rocha, da Editora Fapi.

Esta coleção explora aspectos da natureza da região do Pantanal e desperta o gosto pela leitura

Vem ver como desenvolvemos essa sequência didática. Você pode adaptá-la par seus alunos, encaixando outros elementos, textos parecidos, enfim, solte sua imaginação!

1ªEtapa:

                        Atividade Introdutória à recepção do texto

O professor inicia o diálogo com os alunos, centrado na identificação de animais que se apropriam do corpo humano como pulga, carrapato, piolho e bicho-de-pé. Para chegar no nome do bicho-de-pé, o professor pode explicar para as crianças que ele é muito encontrado em áreas rurais (curral ou chiqueiro) e que penetra pela pele do pé.

Nomeando esse inseto, o professor pede aos alunos que digam quem conhecia algo a respeito do parasita e explica que a presença dele em nosso corpo é resultado de um problema: a falta de cuidados com higiene pessoal e nosso corpo.

A seguir, o professor mostra a capa do livro e lê o título para os alunos. O professor desafia as crianças com as seguintes perguntas:

  • O que vocês veem na capa?
  • O que é um hóspede?
  • Para você, quem é Barnabé?
  • Para você, quem é o hóspede de Barnabé?

2ª Etapa:

            Leitura compreensiva e interpretativa do texto

O professor lê a narrativa para os alunos e, simultaneamente, mostra as ilustrações. Em seguida, o educador relê a narrativa, questionando os alunos a respeito do texto. Por exemplo:

  • Para você, por que Basé morava no pé de Barnabé?
  • Por que Basé ia para debaixo da unha de Barnabé?
  • Por que Basé desistiu de de viver no pé de Barnabé?

As próximas perguntas podem ser exploradas usando um planisfério do Brasil, as explorações podem ser relacionadas as regiões do Brasil, Rosa dos Ventos e muitas outras que o professor pode escolher, como os estados e suas capitais.

  • O que é o Pantanal? Onde ele fica?
  • Que bichos vivem no Pantanal?
  • Qual é o nome do rio que passa pelo Pantanal?

A seguinte questão pode ser explorada, com pesquisa via internet, os alunos podem procurar os diversos meios de transportes aquáticos.

  • Qual é o meio de transporte que navega no rio?
  • Foi nesse meio de transporte que navegou Basé?

Aqui pode-se explorar os movimentos corporais, através de um pequeno teatro sobre o circo, ou um jogo de mímica com os movimentos dos personagens circenses.

  • Quais foram os divertimentos de Basé no circo?
  • Por que será que Basé gostou do Palhaço Picolé?
  • Quem avisa as crianças sobre os perigos dos bichos-de-pé?

Essa questão dá oportunidade de construirmos uma lista de palavras, divisão silábica e construção de frases.

  • Que palavras terminam com o mesmo som de Barnabé?

3ª Etapa:

            Transferência e aplicação da leitura

Nessa etapa o professor pode mostrar textos, ilustrações e imagens reais do inseto. Pode seguir a roda de conversa apresentando detalhes como:

O fato de o bicho-de-pé ser um problema para a saúde de muitas pessoas no Brasil. É interessante mostrar a foto do parasita para que as crianças vejam que o bicho-de-pé é como uma pulga de cor marrom-avermelhada que, quando adulta, mede em torno de 1 mm de comprimento. Devemos explicar e também mostrar imagens da fêmea adulta, pois somente ela tem a capacidade de perfurar a pele do homem, porco e outros animais, para se alimentar de sangue e pôr seus ovos. Enfim, essa é a hora de explicar aos alunos que, para o bicho-de-pé, nosso corpo é como um ninho, que permitirá a reprodução de novos parasitas.

A ilustração mostra um ponto muito comum da presença desses parasitas: os dedos dos pés.

Imagem

É importante ressaltar que a infecção com o inseto é bem comum no verão pois há o cruzamento de dois fatores de risco, o solo úmido que favorece o aparecimento de larvas e o mau hábito de andar descalço justamente por causa do calor

Além dos pés, que dão o nome popular ao inseto, não podemos esquecer que esses animais podem afetar também as mãos e o calcanhar. Todo cuidado é pouco!

Os pés descalços, em contato com o solo, favorecem a infestação

Imagem

Um dos primeiros indícios de que o indivíduo sofreu infecção é uma coceira leve sentida na região onde a fêmea depositou os ovos. Em seguida pode aparecer um inchaço no local afetado. Mesmo sabendo que a fêmea morre logo após cumprir sua “missão de mãe” (É, meus amigos, no fim das contas, tudo é luta pela sobrevivência das espécies…), devemos retirar o inseto assim que percebemos sua presença no local para que não ocorram complicações como úlceras e inflamações na área atingida. Há relatos de casos mais graves que levaram até mesmo à amputação de partes dos pés.

Ao localizar um parasita, o melhor é retirá-lo imediatamente

Imagem

Aqui estão algumas imagens que você pode levar para sua aula sobre o bicho-de-pé

Taí o hóspede que ninguém quer receber

Imagem

Nessa ilustração podemos ver a fêmea com o abdome repleto de ovos

Imagem

Esse é dos grandes! M-E-D-O!! =0

Imagem

Nesse ponto da aula é importante conduzir o questionamento para os recursos que temos para evitar o bicho-de-pé, ou seja os cuidados com  a nossa saúde. O professor pode perguntar:

  • Quais as consequências de um bicho-de-pé no corpo humano?
  • Por que os bichos-de-pé entram na pele?
  • Quais são os cuidados que devemos ter com o nosso corpo?
  • Que hábitos de limpeza são recomendados para a manutenção da saúde?

A gente quer que as turminhas entendam a importância da higiene pessoal e isso pode ser feito de forma lúdica, com atividades que misturem também brincadeiras, que possam ser feitas em duplas e também com a ajuda da família, em casa. Gostamos quando nossos alunos levam o conhecimento adiante, envolvendo toda a família no processo do aprendizado. Selecionamos algumas atividades que você pode encontrar nesse site aqui e aplicar nas suas aulas:

Explore com os pequenos a importância da higiene pessoal, usando esse conjunto de atividades

Cruzadinhas são uma ótima maneira de fixar o conteúdo e trabalhar a escrita
Você também pode extrapolar essa atividade com um pouco de matemática, pesquisando o preço de produtos de higiene pessoal

E se você não é professor, mas descobriu tudo que esse bichinho pode aprontar no corpo humano, pode explorar esse assunto com as crianças em casa. Comece perguntando coisas como: você lava as mãos depois de ir ao banheiro? Tem lavado bem as frutas e verduras? Anda descalço por aí?

Não esqueça o quanto sua saúde é importante! Gostaria de ver uma sequência de didática sobre outro parasita ou tema ligado à saúde? Escreva sua sugestão nos comentários. Estamos esperando!

Até a próxima!!!

 

2 comentários sobre “Sequência didática multidisciplinar nos anos iniciais

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s