Estamos de volta! Férias!

Saudações, Pensadores de Ciências!

Estavam com saudades?! Nós sim! E muita! Como foram de festas?

Nós pudemos descansar bastante (era preciso!!), mas já estamos de volta e cheias de energia para o ano que começa. E janeirão tá aí né, gente? Que tal falar de viagem, passeios?! É férias, Brasil! 😀

O negócio é o seguinte: TODA cidade (inclusive a sua) tem algo a conhecer, explorar, um cantinho especial pra observar a natureza. Acontece que, nas nossas andanças por aí, a gente fica de olhos bem abertos, procurando informações e dicas que a gente possa dividir com os alunos em sala e também com nossos leitores aqui no blog.

Sim, somos daquelas loucas esforçadas que procuram monitores, pedem panfletos, explicações, endereço do site…rsrsrsrs! Isso que dá ficar, o tempo todo, Pensando Ciências! 😀

O passeio que eu trago hoje vem carregado de boas lembranças. Afinal, o Jardim Botânico do Rio de Janeiro foi o lugar onde eu, Marla, carioca da gema, aprendi a admirar flores, aves, árvores…

Neste post aqui, falamos que voltaríamos com sugestões de passeios e atividades para as férias, né? Pois é, este mês, vamos dividir com vocês alguns passeios e visitas que fizemos e nos quais podemos levar os pequenos (filhos, sobrinhos, netos) e estimulá-los a observar a natureza e os seus encantos. Pode ser uma viagem de férias, aquele feriado prolongado…tem até sugestão de passeios de um dia.  Aguardem os próximos posts! \o/

Visitei o Jardim Botânico em setembro de 2016 e reencontrei esse lugar mágico!

Um dos muitos caminhos (aleias) do Jardim Botânico
Um dos muitos caminhos (aleias) do Jardim Botânico

Fundado em 13 de junho em 1808, por um decreto do futuro rei D. João VI, o Jardim Botânico tinha uma função muito específica: servir de” jardim de aclimação” para especiarias trazidas do oriente. Resumindo, o Botânico seria uma estufa a serviço do governo e para tornar o Brasil independente na produção de especiarias, livrando-se da submissão do comércio com o oriente. Pois é… o princípio era mesmo o dinheiro, mas… isso não invalida a criação desse lugar incrível!

A história do Jardim Botânico e dos personagens que dela participaram é interessantíssima e você pode pesquisar um pouco mais bem aqui.

Acontece que o tempo passou, e o Jardim Botânico é hoje, muito mais que aquele “supermercado” do império português. O espaço abriga, além do horto, um complexo cultural bem diversificado, com o Museu do Meio Ambiente, Museu Casa dos Pilões e o Espaço Tom Jobim este último tem teatro e área para exposições variadas, além de contar com exposição permanente de objetos pessoais do maestro, um apaixonado pelo Jardim Botânico.

A área do Jardim conta com milhares de espécies de plantas em seus mais de 54 hectares, além de ter o maior herbário do Brasil, com acervo à disposição de pesquisadores.

Mas tá na hora de ver o que meu olhar captou por lá, né? Que tal um pouco mais de imagens?

As palmeiras imperiais são um dos elementos mais marcantes do Jardim Botânico
As palmeiras imperiais são um dos elementos mais marcantes do Jardim Botânico
Minhas experiências fotográficas... tirando foto da palmeira com a câmera na base! \o/
Minhas experiências fotográficas… tirando foto da palmeira com a câmera na base senti ainda mais o poder dessa árvore magnífica! <3
Mais uma experiência! :)
Mais uma experiência! 🙂

Encontrei por lá alguns bustos de biólogos e pesquisadores que se dedicaram a catalogar e estudar plantas, inclusive no Brasil. Esses viajantes europeus ajudaram muito no conhecimento de nossas plantas nativas.

Busto de Saint Hilaire, na área dedicada aos botânicos do século XIX
Busto de Auguste Saint Hilaire, na área dedicada aos botânicos do século XIX

Vi também o Jardim Sensorial, uma área maravilhosa, dedicada aos cactos. Essas plantas de beleza tão rústica quanto delicada encantam os visitantes. Há uma parte coberta (estufa) e a área aberta. É uma espécie mais linda que a outra!

Nesta área pude visitar um espaço dedicado aos cactos. Sensacional!!!
Nesta área pude visitar um espaço dedicado aos cactos. Sensacional!!!

E falando em jardins…já viu esse post aqui?

Um dos cantinhos especiais do Jardim Sensorial
Um dos cantinhos especiais do Jardim Sensorial
Mais uma espécie do Jardim Sensorial
Mais uma espécie e olha essa flor, no alto da planta!
Mais flores! <3
Mais flores! <3
E no meio das pedras, a vida
E no meio das pedras, a vida
Estufa dos cactos
Estufa dos cactos
Esse cacto em flor me comoveu! Quanta beleza pode haver por aí, esperando o nosso olhar!
Esse cacto em flor me comoveu! Quanta beleza pode haver por aí, esperando o nosso olhar!
Olha o que eu achei: uma planta carnívora!
Olha o que eu achei: uma planta carnívora!

Lembram-se dela?

O Jardim Botânico conta ainda com área de alimentação e parquinho para as crianças menores.

Área de alimentação para aquele suco "ixperrto", em bom carioquês! ;)
Nos quiosques, você pode aliviar o calor tomando aquele suquinho “ixperrto”, em bom carioquês! 😉
E um pouco mais de diversão para a criançada! :D
E um pouco mais de diversão para a criançada! 😀

A minha sugestão é que você faça sua visita entre os meses de abril a outubro, pois o calor do Rio de Janeiro não é moleza, não. Leve (e beba) muita água durante sua caminhada. Leve também sua vontade de se deixar arrebatar pela beleza estonteante desse pequeno pedaço de paraíso em meio ao caos de uma das maiores cidades brasileiras.

Serviço:

Horários

– Segundas-feiras: das 12h às 17h
– De terça a domingo: das 8h às 17h
Obs: Durante a vigência do Horário de Verão, as bilheterias ficam abertas até as 18h.
Preços:

R$ 10,00 (Somente em dinheiro)

Para informações sobre telefones, estacionamento e também as regras de meia entrada e gratuidade, além de qualquer outra curiosidade sobre o local, não deixe de acessar a página oficial do Jardim Botânico do Rio de Janeiro.

Gostou do nosso primeiro post de férias? Tem mais sugestões? Divida conosco suas experiências enquanto anda por aí, Pensando Ciências!

Até a próxima!

 

Um comentário sobre “Estamos de volta! Férias!

Deixe uma resposta